1 de março de 2009

Offshores e combate à evasão fiscal

A eurodeputada Ana Gomes, primeiro no congresso socialista, depois no programa Eixo do Mal, fez questão de lembrar uma velha luta sua: o fim das offshores.

Os que como ela pretendem acabar com os paraísos fiscais, apresentam o combate à evasão fiscal como argumento. Acontece que, findas as offshores, fica sempre a economia paralela, que ganha grande tendência a aumentar. O mau caminho que ela apresenta, é um mau caminho para o combate que ela diz querer travar.

Se é realmente com a evasão fiscal que ela e os seus pares estão preocupados, a perspectiva de olhar as offshores deveria ser precisamente a oposta. Simplificar o sistema fiscal e reduzir os impostos, marcas típicas dos paraísos fiscais, deveriam ser objectivos claros de todos os países que buscam a mais elevada eficácia ao nível fiscal. De facto, quanto menores os encargos fiscais, menos tendência para lhes fugir. Quanto mais baixos forem os impostos, mais dispostas estarão as pessoas a pagá-los. E, em última análise, a receita fiscal tenderia, eventualmente, a aumentar, como nos casos dos cortes fiscais de Kennedy e, sobretudo, Reagan, que a famosa Curva de Laffer ajuda a perceber.

1 comentário:

Daniel Santos disse...

Mesmo que baixassem, acredito que todos continuariam a fugir.

Talvez menos, mas mesmo assim muito esperto continuaria a viver em paraísos fiscais.